segunda-feira, 24 de março de 2008

Bope: construindo um país melhor

Acho que não chega a ser surpreendente, já que nos últimos anos vimos muitos modismos bobos sair das telas ou do mundo das celebridades para fazer parte de um cotidiano temporal mas bastante revelador.

O mundo das grandes empresas tem se embrenhado cada vez mais no mundo da auto-ajuda, e nesse movimento todo gente como Bernardinho e Parreira se tornaram gurus de muita gente. Óbvio que as palestras motivacionais surtem efeitos em muita gente, especialmente em funcionários que trabalham com metas a atingir, como funcionários de bancos e seguradoras, que fazem parte de um grande staff e vêem a concorrência o tempo todo ao lado.

Li hoje, na Folha de S. Paulo, um artigo a respeito de um ex-comandante do Bope que vêm ganhando uma bela grana como palestrante motivacional. Fica uma lição pra quem pensa que o tipo de ação policial mostrado no filme "Tropa de Elite" não tem muita entrada no nosso "mundo real".

Pra deixar mais claro, selecionei alguns trechos do artigo:

____________________________________________


São 20h de uma quinta-feira, 28 de fevereiro, quando o "caveira 69", Paulo Storani, 45, ex-capitão do Bope (Batalhão de Operações Especiais), é anunciado à platéia. Um slide com a frase "Construindo uma Tropa de Elite" esclarece o motivo do improvável encontro de mundos: um ex-policial do grupo de operações especiais da Polícia Militar do Rio e vendedores de seguro. Sob aplausos, o palestrante entra na sala repleta e grita: "Caveira!". Storani, que está se convertendo em estrela do segmento motivacional, recebe de volta, em uníssono, a saudação, típica dos oficiais do batalhão.
(...)
Storani veste terno e gravata como sua platéia, mas fala e age como um líder do Bope, corporação onde trabalhou por três anos e que abandonou há dez. Depois de um rápido preâmbulo, o palestrante chega ao ponto: "Você é um operação especial ou é um convencional na sua atividade? O convencional é o invertebrado, é quem desmonta no primeiro tiro ou na primeira meta [de vendas]". Storani inflama a platéia com a terminologia usada pelos policiais no filme. "E quem não está satisfeito...", provoca ele. O público reage: "Pede pra sair!"
(...)
Por volta das 21h30, o "grand finale". Liderados pelo palestrante, todos gritam: "Eu sou caveira!"
(...)

Os mais empolgados levam os conceitos para dentro das empresas. "Quando alguém consegue bater a meta, faz no computador um bonequinho com a caveira do Bope e manda por e-mail", conta Patrícia Olivani, 36, gerente de vendas do Unibanco AIG. Gustavo Rosset, 33, diretor comercial da Rosset Têxtil, proprietária de marcas como a Valisère e Cia. Marítima, foi além: "Na empresa, a gente agora só se chama por número [como no filme]", afirma. Rosset conta que depois da palestra de Storani dois funcionários "pediram pra sair". "Um [pediu pra sair] três dias depois da palestra e outro 15 dias depois, porque viram que o bicho ia pegar", diz o diretor e herdeiro da Rosset Têxtil, maior grupo nacional em tecido de lycra, com 3.000 funcionários. O empresário mandou colocar, na sede da empresa, em São Paulo, banners pretos com a caveira do Bope e dizeres como "Missão dada é missão cumprida". "Temos que tirar as pessoas da zona de conforto", afirma Rosset.

Aí do lado:

Gustavo Rosset, diretor da Rosset Têxtil, com funcionários da empresa, uma das muitas que adotaram lemas do Bope, a tropa de elite da PM do Rio, como estratégia para motivar os empregados.

Nos banners: "Vá e vença" e Missão dada é missão cumprida".






____________________________________________

Bão...

Certamente o ex-capitão do Bope será o primeiro de uma (possivelmente pequena) leva de palestrantes motivacionais nessa linha. Não acredito que vá muito além dos 15 minutos de fama - e os 15 extras adquiridos junto com um estranhíssimo Urso de Ouro. De qualquer forma, é notório que o Tropa conseguiu uma penetração cultural relativamente grande. Eu, pessoalmente, achava que era coisa de orkut, onde os infâmes "pede pra sair" e "fanfarrões" se tornaram tão populares.

À época do lançamento do filme, provavelmente inspirado pelo Oráculo do Milênio, escrevi um textículo aqui nesse espaço intitulado "Gozando com Nascimento", falando justamente sobre essa coisa de sair satisfeito do cinema ao ver o Capitão resolver qualquer parada com as duas próprias mãos e uns saquinhos plásticos. Tudo muito simples, rápido e eficiente. O que vejo agora, é que a pagação de pau chegou a um extremo tamanho que tem gente achando legal ser um dos aspirantes a soldado do Bope. A excitação do rapaz lá em cima contando que "Na empresa, a gente agora só se chama por número" e "Um [pediu pra sair] três dias depois da palestra e outro 15 dias depois, porque viram que o bicho ia pegar" é ótima. Que legal Gustavo de 33 anos!

Claro, a vontade dos participantes do curso não é de serem humilhados por um ex-capitão do Bope (mas desconfio que para alguns o legal é isso mesmo, numa espécie de atração Disney bizarra..."nossa, o cara me fez comer vômito meu, vômito!"). O negócio é que esse tipo de humilhação obviamente constrói carácter. Ah sim, porque pra quem quer fazer de seus funcionários verdadeiros vencedores e máquinas à prova de erros e transgressões morais, há agora a possibilidade de contratar uma palestra motivacional nos moldes de treinamento do Bope, com direito a ser chamado de número, entrar na água e ser levemente humilhado por 20 horas. Custando a bagatela de R$3.250,00 por pesssoa.

Claro, integridade não tem preço.



Bookmark and Share

6 comentários:

Gabriovaldo Erasmo disse...

Pronto.
Após muitos anos de acenos e tentativas, finalmente está declarado.


2008 é oficialmente o Ano I do Império da Babaquice Brasileiro

Marcel disse...

Quando o Marcelo comentou comigo eu não acreditei, mas o fato é que palestras de gestão de pessoal (eu tive algumas aulas na especilização de gestão e didática e era horrivel) e/ou motivacional estão repletas de babaquices, o pior é que em MBAs da vida, essas "dinâmicas" são ponto forte... Para mim nunca pareceu que levasse a nada... Inclusive conversando com minha namorada que fez MBA e está terminando especialização em análise do comportamento ela bem que tentou mas não conseguiu explicar o que leva a isso e tb acabou por declarar que acha baboseira... Mas depois disso ai que o Marcelo postou eu cheguei a conclusão. Ora, não se precisa de gente pensante pra vender, se precisa sim de gente com táticas que agem pela força (leia-se bom jeito de vendedor), por isso não me impressiona, na verdade, o estilo BOPE de ser nas empresas, o negócio é aniquilar o individuo o alienando para ele dar o sangue pela empresa... Lembra os estados totalitário não lembra???!! Hitler deve estar tão felizzzz!!!! (desculpa pelo pensamento esquerdista demais)...

Marcílio - o gêmeo malvado disse...

"povo marcado, povo feliz"

pois é Marcel, o processo é esse mesmo e essa do Bope é o fim de tudo. O "melhor" é o povo achar legal ser tratado por número, atualmente nem precisa de muito esforço pra convencer as pessoas disso.

Marcílio - o gêmeo malvado disse...

Marcel,

só nesses dias de hoje pra esse pensamento ser tido como "esquerdista demais".

Anônimo disse...

A Unica diferença é que o Capitao do Bope nao conseguiu seu cargo por ser filho do dono no batalhao, como Gustavo Rosset, um playboyzinho bobo que nao sabe nem o significado de "diretor comercial".

Anônimo disse...

Acho engraçado um MULEQUE que nao sabe nem o significado da palavra disciplina (já que nem terminou o ginasio) adotar tal tecnica...

Tome vergonha na cara seu muleuqe, e entenda que voce trata os seus empregados por NUMERO pelo simples fato de ser o FILHO do dono da empresa.. Todos sabem e comemtam que voce nao TEM IDEAO de como fazer o seu trabalho e por isso qualquer tecnica barata que apareça, voce ira embraçar.
Se nao fosse pelo fato de seu pai ser o dono da empresa onde voce trabalha, voce nem um numero seria pois pravavelmente exigiriam "nivel superior completo" para aceitarem funcionarios em posiçoes de autoridade...

Por favor nao assista Star Wars, senao vai querer colocar seus funcionarios em naves espaciais e força-los a usar mascaras e espadas...

Good Luck and Good night my friend, you are a fucking joke.. guys like you are the kind of idiots who fuck up our country !