domingo, 20 de março de 2011

Meu vizinho marsupial


Faz uns 3 anos que Joshua se mudou pro apartamento vizinho ao meu.  Nos conhecemos no elevador, onde trocávamos cumprimentos formais: boas noites e bons dias.  Pouco tempo depois, nos vimos presos num mesmo ônibus, parado em um congestionamento e começamos uma conversa, quando descobri que Joshua era biólogo e australiano, fazendo seu pós-doc aqui no Brasil.

Interessado por biologia, logo fiquei amigo do sujeito, que me convidou pra tomar umas no seu apartamento.  Entrei pela porta da cozinha e vi umas tigelas de ração no chão.  Nunca havia me passado pela cabeça que o Joshua pudesse ter animais, por duas razões: estaria no Brasil apenas por uns dois anos e; nunca havia ouvido latidos, miados, trinados ou coisa parecida.  Como não vi bicho algum, sentei-me no sofá e fiquei aguardando o australiano, que havia entrado na cozinha para pegar alguma coisa.

Estava muito relaxado quando senti alguma coisa peluda se movendo atrás de mim (o gato, pensei), andando sobre o encosto do sofá.  Virei pra trás pra ver o bichano e...

IIIIIIIIIIAAAAAAAAARRRRRRRRGHHHHHHHHH!!!!!!!!!!!!

Saltei dali e dei uns passos pra trás, procurando alguma coisa pra acertar aquele bicho estranho:


Que merda é essa meu!?!?!?

O Joshua voltou dando risada

Esse é o Prince Charles, meu gato.

Gato?

É, um gato marsupial.

Me explicou que na Oceania, a ausência de mamíferos placentários permitiu que os marsupiais evoluíssem para ocupar todo tipo de espaço, e muitas vezes acabavam parecidos com os mamíferos placentários, por evolução convergente...bons exemplos disso são os esquilos-voadores e os esquilos-voadores marsupiais, bichos muito parecidos.

A ideia dele era que, se nós criamos os cães a partir dos lobos para fazer deles animais domésticos, o mesmo valeria para os equivalentes marsupiais de cães e gatos: lobos da tasmânia e gatos marsupiais, os "quolls".

Joshua me explicou tudo isso enquanto Charles brincava com uma bolinha, meio desajeitado.  Passado o susto inicial do meu encontro alienígena, tomei interesse pelo bicho e fui lá brincar.  De vez em quando o bicho soltava uns sons agudos, de alta frequência, um "quiquiqui" que certamente seriam inaudíveis para os vizinhos - como eu podia atestar.  Charles não era filho único - Joshua tinha ainda uma fêmea, mais tímida, porém muito carinhosa, chamada Sue.

Meu vizinho passou a tentar me empurrar um filhote de uma ninhada que planejava para dezembro, mas eu não estava animado com a idéia de ter um animal estranho dentro de casa...passou a listar as inúmeras qualidades dos marsupiais: temperamento dócil, hábitos alimentares modestos, resistência à maioria das doenças comuns de cães e gatos e ausência de cheiro forte (só na cabeça dele).  Passado um certo tempo, percebi que Joshua saía para caminhar com os bichos bem cedinho, para não chamar muita atenção.  Curioso, resolvi acompanhá-lo numa dessas manhãs frias de Sampa.  Lá pelas tantas, Charles parou perto de um muro e fez suas necessidades...mais que depressa, Joshua enfiou sua mão debaixo da barriga de Sue e puxou um saquinho plástico, que usou para recolher as fezes: "Marsúpio.  Não sei como donos de cães vivem sem isso."  Me contou que uma das características desenvolvidas com os sucessivos cruzamentos foi um marsúpio muito maior que o normal - assim como poodles apresentam pelagem lanosa.

Acabei não aceitando o único filhote da ninhada de Charles e Sue, Joshua se mudou daqui há uns três meses, levando seus bichinhos consigo.  Sinto um pouco de saudades dos "quiquiquis" que não ouvia, e só agora entendi porque Joshua vivia de pochete.

    Charles no sofá do Joshua

11 comentários:

Gabriel G; disse...

Hahahahahaha!!!!

Eu já falava que os marsupiais são uma marca concorrente de mamíferos... produzem genéricos de gatos, ursos, esquilos, cães, toupeiras...

Um dia, numa caverna da Oceania, alguém descobrirá restos do homo marsupialis!!!

Marcílio - o gêmeo malvado disse...

Lembro do teu comentário, foi o que motivou o texto....que marsupiais seriam versões Mac dos ploacentários-IBM...rsrsrs!!!

Eu acho que existem sim homens-marsupaiais. Geoffrey Rush, por exemplo: olhando de longe, não tem nada de mais, mas se prestar atenção, tem algo estranhho com esse cara, não sei se é o focinho...

Marcel disse...

Cara, fiquei pensando se esses filhotes marsupiais não podem contaminar nosso meio ambiente com espécies estranhas. Inclusive é crime ambiental trazer animais alienígenas sem a devida autorização. Mas sinceramente não sei se é o caso de bichos de estimação exóticos.

Marcílio - o gêmeo malvado disse...

Por isso Geoffrey Rush é castrado.

Marilia Kerr do disse...

Marcel está coberto de razão!!! Além de irresponsabilidade, é crime ambiental!! Muito me espanta que o Joshua seja biólogo...ou seria biólogo genérico???

Marcílio - o gêmeo malvado disse...

É um biólogo...marsupial! É como Macintosh ou Pepsi-Cola.

Gabriel G; disse...

"Por isso Geoffrey Rush é castrado"...
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!!!!!

Marcel disse...

kkkkk!!!
Aliás, nas foto pra mim não parece um gato (ou "gato marsupial"), parece um gambazão...

Um gambazão castrado... (cara ele parece um E.T)...

Vou lançar a campanha "Placentários mandam!!!" (é até parece que há um briga no mundo dos mamíferos: Placentários X Marsupiais)...

Marcel disse...

o meu "nas foto" tb foi ótimo...

Marcílio - o gêmeo malvado disse...

é os erro das distração...rsrs!

Marcel disse...

Esta estória me cheira a gambazão...