quinta-feira, 24 de julho de 2008

GLOBAL WARMING



Bookmark and Share

6 comentários:

Marcílio - o gêmeo malvado disse...

Whatafuck?

Gabriovaldo Erasmo disse...

"O fim do mundo"


É uma tira do dia dos namorados, mas aproveitei para "o fim do mundo".

Marcel disse...

Nossa e eu que quando vi imaginei coisas demais... Minha nossa... Eu imaginei, por conhecer o Gabriel, que se tratava de uma tirada do aquecimento global provocado principalmente pelos norte-americanos, por isso a tirinha era em inglês...
AAfff para mim... Nesse momento devo estar pisando em plutão pelo tamanho da viagem...
...William de Ockham se remexe no tumbão...

Gabriovaldo Erasmo disse...

Não sei quem é o autor da tira, mas é uma que eu gostaria de ter feito. Eu a achei no "blog dos quadrinhos".

Gabriovaldo Erasmo disse...

Mas agora o Marcel me deu uma idéia boa de piada... o post podeia se chamar "Global warming"... hmmm. Fique aqui marcado para os registros históricos que vou alterar os registros históricos!!

Marcel disse...

Não se preocupe Gabriel, entendo que você achou simplesmente bonitinha a historinha... Isso é normal viu! você não precisa ser como o malvado do Marcelo e exigir alto padrão intelectual em tudo... Seja livre desses repressores de corações, você casou a pouco tempo... Aliás meus parabéns (ainda não tive oportunidade de lhe parabenizar pessoalmente)!!!! Grande Abraço!!!!

Todas as cartas de amor são ridículas!...

Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.

Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.

As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.

Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.

A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas.)

Fernando Pessoa
(Poesias de Álvaro de Campos)

P.S: Marcelo, é uma sincero parabéns ao Grabriel, não pense que tive qualquer intenção em discutir qualquer coisa e nem insinuar nada, ,mas não resisti encher o seu saco também e paro por ai, sem qualquer outro "animus espiziantibus", juro! ...