sábado, 26 de dezembro de 2009

Avatar

Fui ver hoje.

Não senti tonturas ou dor de cabeça. O óculos é meio chato.

Honestamente, gostei da experiência, acho que o 3d foi bem utilizado, algumas imagens são fantásticas, teve uma hora em que precisei deviar de alguma coisa...

A história não é espetacular, mas o conjunto da obra é capaz de prender a atenção pelas quase três horas de filme.

No final das contas (final meio óbvio, não vou me furtar a comentar), o soldado é muito mais legal como Na´vi do que como humando. Me lembrou da Fera de "A Bela e a Fera" da Disney, onde a opção da Fera em voltar a ser humano é meio chata - o cara é muito mais legal como Fera. O Jake Na´vi é muito mais interessante...os felinos-bípedes-azuis certamente foram feitos para serem bichos "amáveis" - no sentido de loveables, ou passíveis de serem amados.

Queria ter uma máquina e um avatar desses, mas pra morar na cidade mesmo. Seria muito bom pro meu basquete. Fora o lance de que o rabo parece ajudar muito no equilíbrio desses bichos enormes.

A obviedade chata do filme é o excesso de referências ao Bushismo: ataques preventivos, "war on terror", "shock and awe" e o retorno (já meio batido nos diasd e hoje) do mito do bom selvagem.

Mas vale a pena, achei bacana. Vou ficar irritado se começar a ler discussões muito aprofundadas sobre a filosofia embutida em Avatar.


Bookmark and Share

Um comentário:

Marcílio - o gêmeo malvado disse...

Aliás, pensando nos Na´vi serem meio Disney, a história também é.