terça-feira, 16 de junho de 2009

Segundo Selina


Bookmark and Share

9 comentários:

Gabriel disse...

... "a memória dela não faz um ranking" é genial.

Quem conhece e convive com gatos e cães sabe bem o que Laerte coloca aqui.

Marcel disse...

Gabriel tenho que confessar que gosto muito mais da figura felina do que realmente gosto de gatos, pode ser uma pontinha de hipocondria, mas na sua existência real eu me lembro de doenças quando vejo gatos. O que não acontece com cachorros. Mas como estava dizendo adoro a figura felina, seus contornos misteriosos, sorrateiros, sua alegria na noite e seu aconchegante ronronar.
E esta tirinha é uma triste constatação com quê de cruel realismo fantástico (se é que posso dizer isso). Arriscaria dizer que lembra algo, não sei bem o que, de Guimarães Rosa.

bruno azevêdo disse...

desconcertantem, essa porra.
me fez gelar o estômago

Gabriel disse...

Bruno, eu ia justamente escrever pra você perguntando o que achava desta tira... como sei que é um amante dos gatos (como o próprio Laerte) fiquei curioso para ver sua impressão.

A confusão entre "acidente" e "atentado" que Laerte faz é interessantíssima e é o ponto chave aqui.

Fico pensando nele olhando sentido pra gata machucada, e ficando com aquilo na cabeça e resolvendo escrever. Alguém sacaneou a gata dele, e ainda assim ele não escreve diretamente sobre a sacanagem humana, mas sobre a inocência animal. Que doído isso!

Fico pensando se a pobre Selina está lesada para sempre ou se é temporário. O mais iteressante é que, para um gato, não exite "temporário" nem "eternamente", só o agora eterno. A memória deles "não faz ranking" nem sente "saudade dos velhos tempos".


Uma lambida humana deve ser realmente desagradável e constrangedora.

Marcílio - o gêmeo malvado disse...

Eu tinha visto essa no jornal, nem lembrava mais. O Laerte é de uma sensibilidade absurda, essa tirinha é linda. Agora, eu nem tinha parado pra pensar que a Selina pudesse ser a gata dele.

Esse tipo de reflexão sobre como é o mundo dos bichos é interessante e divertida, de vez em quando eu me pego imaginando o que se passa na cabeça do Miró, o sobrevivente aqui de casa.

Gabriel disse...

Ah, só pra constar: não sei nada de se a Selina existe e se é uma gata do Laerte mesmo. O que falei foi pura conjectura.

bruno azevêdo disse...

eu sei que o marreco me odeia, mas se alguém aprontasse uma com ele não ia dar certo, não.
e selina é o nome da gata de elizabeth e júlio, só que com C.

Gabriel G; disse...

... atualizando: Confirmou-se via facebook que Selina É uma gata do Laerte, foi atacada com uma espingarda de pressão, e lesada permanentemente devido ao alojamento do chumbinho em sua coluna.

Bicho ruim do caralho, o ser humano.

Marcílio - o gêmeo malvado disse...

Que merda.