segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

... and a nation of non-belivers

2 comentários:

Marcílio - o gêmeo malvado disse...

"Política é a arte do possível...reli8gião a arte do impossível."

Porra, esse discurso é surpreendente. O cara ainda era candidato, e não teve papas na língua para falar sobre um assunto tão delicado e espinhoso - foi além, teve a capacidade de ser irônico.

Me leva a outro ponto, algo que eu discuto por aqui há algum tempo: se um candidato à presidência dos EUA faz um discurso desses, sabendo que o seu eleitorado é, em sua maioria, composto de cristãos protestantes, isso nos diz o que sobre os liberais nos EUA? Que político no Brasil poderia fazer um discurso desses e se eleger?

Como eu sempre digo: os EUA estão anos-luz à nossa frente no que diz respeito ao esclarecimento da classe média. O que tem mesmo é muito preconceito, como há contra os argentinos por conta da elite portenha, contra curitibanos por conta da população do Batel...

Fico cada vez mais impressionado (da melhor maneira possível) com a eleição do Obama.

Gargamel Ostrogodo disse...

Eu também fiquei impressionado com essa do Obama. Mas, segundo o blog do Idelber, parte do sucesso foi justamente isso: toda a estratégia "clintoniana" dos democratas era tentar não perder votos entre o eleituorado indeciso de inclinações "republicanas". Nisso, vem um cara que nem o Obama e fala claramente coisas desse tipo... e ainda ganha a eleição!