quinta-feira, 8 de maio de 2008

os diferentes

Não sei se todo mundo já viu isso...

A resposta da ministra Dilma Roussef a uma provocação do senador Agripino Maia do PFL-RN (ah, o cara é o presidente naccional do partido). O cara tem a pachorra de insinuar que a ministra é mentirosa por ter declarado que sob tortura mentia, e ainda acusa o governo de golpista...assistam:



A resposta da ministra dispensa qualquer outra tentativa de defesa.

Interessante a cara do babaca enquanto toma uma senhora bronca da Dilma. E a cara dos seus colegas.

Interessante ainda que essa expressão nos é familiar, lembra muito as caras do Alckmin (outro gênio da política nacional) durante os debates com o Lula.

Certamente tem gente achando que o senador venceu a discussão e que a ministra é uma mentirosa assumida.


A íntegra da resposta da ministra:



Bookmark and Share

15 comentários:

Gabriovaldo Erasmo disse...

hahahahahahah!!!!!!!

SIFÚ bunítu!

Impagável, impagável. O imbecil deu palanque fácil fácil pra ela. E ela ainda foi sutil demais -- podia ter deixado claro, naquele momento, de ONDE vêem os "democratas".

PnCdAV.

Marcel disse...

O pior é que o abestalhado do Agripino deve ter saido achando que ela assumiu ser mentirosa como disse o Marcelo mesmo... É o que demonstra a charge publicada no reacionário jornal parananense "O Estado do Paraná" (sem falar de opositor descarado do governador do Paraná, o Sr. Requião, em que pese este não merecer muito crédito mesmo, mas o jornalismo deveria ser isento e não palanque político)... Enfim, aqui vai o endereço da charge que está no lado direito mais abaixo da página na própria charge do dia onde se pode ver o absurdo clicando em "+ charges" e indicado a data da charge que, no caso, é do dia 08/maio/2008:
www.parana-online.com.br

Marcílio - o gêmeo malvado disse...

Aff...o Estado do Paraná é ridículo.

Marcel disse...

O pior é que depois do balde de água fria que você postou, Marcelo, reacendeu-se a discussão dessa meleca com a descoberta do homem (teoricamente ligado a Zé Dirceu) que teria vazado o suposto "dossiê"... Tal descoberta bate com que a Ministra disse, porém a oposição virulenta vê como uma nova coisa onde sai fortalecido os indícios de improbidade por parte da Chefe da Casa Civil...
Interessante, que com as informações que chegam até nós, parece que vai se delineando que o grande vilão do governo petista é mesmo o José Dirceu... Mas, fazer o quê, quanto de isenção se pode esperar desta midiocracia que vige hoje... Ademais, há um quê de estratégia batida da oposição, onde se tem Lula com uma aprovação gigantesca da população geral, estando blindado contra desvarios virulentos da oposição, e uma oposição que tenta derrubar as bases do governo Lula, comendo as pessoas/sustentáculos do governo pelas beiradas com inúmeras e infindáveis CPIs, descreditando qualquer outro órgão institucional de investigação como a Policia Federal, p.ex., e deixando de fazer mais rapidamente o serviço do congresso e as reformas tão necessárias ao Brasil (de troco, ainda colocam a Culpa nas MPs do governo que sem elas não se pode fazer nada já que o legislativo não legisla)... De qualquer forma, o "dossiê" em si, pode ser antiético ou ímprobo, mas não é criminoso, seria criminoso apenas se o PT utiliza-se para ameaçar a oposição chantageando ou exigindo que a oposição pratica-se ato ilícito e/ou as informações do dossiê pudessem, potencialmente, ensejar uma ação penal contra FHC e/ou sua trupe...
Aproveitando o comentário, mas MUDANDO DE SACO PRA MALA completamente, queria deixar registrado a indignação que nutro mais recentemente por comentaristas sérios como Conny e Xexéu (comentário de 08/05/2008: http://cbn.globoradio.globo.com/cbn/comentarios/conyexexeo.asp), sem falar no pelego do Jabor (comentário de 08/05/2008: http://cbn.globoradio.globo.com/cbn/comentarios/arnaldojabor.asp), que a priori, têm raízes na esquerda ou na social democracia (e nisto sequer incluo o resto da mídia), mas estão fazendo (pelo menos na rádio CBN) comentários desprovidos de uma visão universal e hermenêutica da sociedade e da história humana, eles declaram acharem absurdo que uma pessoa não condenada fique livre... Ainda, acabam por incitar uma mudança "zás trás" no Código Penal e no Código de Processo Penal (que nem o resto da mídia), e como se fosse assim que se resolve o problema da violência no país... Acho que o certo é inverter mesmo o Principio Constitucional da Inocência (ou da não culpa) para o da “Culpa”, aliás acho que do jeito que vai deveria ser o “Princípio do é acusado se Fudeu”, até que se prove a inocência... Porque só assim teríamos a resposta estatal que esses tarimbados comentaristas (bem como qualquer outro apresentador de imprensa marrom) querem... Puta merda, eu esperaria despautérios autoritaristas e sectaristas de qualquer pessoa, do elitista do Jabor e até do Xexéu, mas não do Conny, pó!...
Não que o Código Penal e o de Processo Penal não sejam antigos e não precisem de reformas, pois eles precisam sim... Mas também não é do jeito que a mídia pinta, tivemos muitas reformas em ambos, além de que o Código Penal se divide em duas partes, em uma especial e em uma geral, sendo que a parte geral (principiológica e mais duradoura) foi totalmente reformada em 1984, época que também se retirou do Código de Processo Penal toda a parte de Execução de Pena, criando-se uma lei própria a LEP (Lei de Execuções Penais), reformas estas, que surgiram no governo de Figueiredo na transição da Ditadura pra democracia onde a sociedade brasileira borbulhava com fortes anseios de liberdade, democracia e igualdade, fora os movimentos sociais que contavam com grande força. Não bastando, a parte especial do Código Penal (que são a previsão dos crimes em si) está quase totalmente esvaziada, vez que quase tudo vem em leis especiais como é o caso da lei de drogas que é de 2006 ou a dos Crimes Hediondos que é de 90... Enfim, esses comentaristas esquecem que dar mais efetividade ao sistema penal é excluir mais as camadas mais carentes da sociedade (conforme o grande jurista e criminologista paranaense José Cirino afirma), o que por conseqüência atravancaria muito mais o desenvolvimento social brasileiro, por falta ou involução da inclusão social e provavelmente o crescimento do IDH geral de nossa população...
P.S: desculpa essa mudança de assunto em um "post", mas estou deveras indignado com a repercussão jurídica e político-social deste maldito Caso Nardoni e não tenho onde demonstrar minha justa fúria e as vezes o sangue ferve... Abraços!!!!

Gabriovaldo Erasmo disse...

Valeu, Marcel! Sua fúria é sempre bem-vinda aqui sempre que aparecer!!!

Gabriovaldo Erasmo disse...

No que se refere à Política, não me lembro de quando não senti um certo nojo do Paraná. E isso, para além do conservadorismo-provinciano-crente-tacanho de sempre, inclui a tosquidão e autoritarismo de meu patrão, o Requeijão.

Sobre a querela do dossiêgueite: já cansei de citar o Nassif (é que leio poucos sites, fazer o quê?). Mas gosto da tendência à síntese que aparece por lá... veja http://www.projetobr.com.br/web/blog?entryId=7389

Marcel disse...

Só me corrigindo... eu escrevi o nome do Cony e do Xexéo errados... Havia escrito "Conny" e "Xexéu"... Mas acho que eles vão me perdoar...hehehe!...

Marcel disse...

Ah, no que tange a análise do Nassif, realmente não havia visto ningúem organizar os fatos da forma que ele colocou (o pior é o primeiro comentário do blog dele, que um carinha escreveu, e a resposta é DINHEIRO talvez?!)...
Quanto a política do Paraná, vamos com calma Gabriel, verdadeiramente é provinciana, mas eu também sou pé vermelho filho deste chão (paranaense/maringaense) e um tanto ufanista, e afirmo que não há ligação genética com tosquice e ser paranaense... Mas o que estou fazendo??? Dizendo isso vou ser chicoteado já que os dois donos do blog vão cair matando com essa minha afirmação... hehehe...

Marcílio - o gêmeo malvado disse...

Eu não sou filho desse chão, mas pé vermelho nessas bandas de cá é inevitável...

Não quero me alongar na discussão "Paraná" mesmo porque já conversamos bastante sobre isso, mas acho que nunca foi dito que há algum problema genético que acometa os paranaenses, agora, há uma consequência do fato de que falta uma identidade própria, isso é cultural, não fisiológico.

Acho que o Gabriel pode até falar melhor que eu, já que se mudou pra cá em ano de eleição presidencial...bem diferente a possibilidade de não votar no PSDB e não ser visto como estúpido por isso, não é mesmo? Dava pra discutirr Lula x Alckmin por aqui?

Marcílio - o gêmeo malvado disse...

Ah, tem também o fato de que eu moro em Maringá, o que torna pra mim muito mais fácil criticar Maringá e o Paraná. Tenho também críticas ao Brasil, aos brasileiros, à América Latina...mais fácil do que falar de Bujari - AC, do Senegal e da situaçãonas ilhas da Oceania.

Marcel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcel disse...

É na realidade falei pra fazer "gracinha" do problema genético, mesmo pq no meu caso haveria um problema genético vindo de São Paulo e outro de Santa Catarina que são as minhas ascendências...
Sim, a cultura (no sentido produção cultural e identidade cultural de um povo) do Paraná não é tão evidente, profunda e produtiva como a do Nordeste, p.ex, mas também não é o único estado-membro da federação que padece desse problema ou de uma politica provinciana (inclusive a política curralista do nordeste ainda prevalece no seu imo). Por seu turno, o ensino formal paranaense está entre os primeiros do Brasil (imagina o último, já que nosso quadro local já é, no mínimo, caótico). Quanto, a discussão Sul e o resto, ou Centro e o resto, estive pensando e não presta mesmo, são justamente essas discussões de "quem é melhor" que geram pensamentos separatistas e preconceituosos - sectaristas (mesmo que no interior das pessoas apenas)...
Eu mesmo fiquei até ofendido de nossas últimas conversas de fundo de quintal a esse respeito e até as músicas MPB que curtia do nordeste não estava conseguindo escutar...
É melhor parar por aqui com esse assunto mesmo...

Gabriovaldo Erasmo disse...

Pra eu, semeador de cizânia e incompreensão, me explicar melhor:):

o "nojo" da Política no Paraná é, antes de tudo, um desabafo, não tanto uma crítica elaborada.
Uma conseqüência de, aqui, eu ter que conviver muito mais de perto com a política do que antes, quando era um reles estudante... ainda mais participando de um órgão político (o Conselho Municipal de Meio Ambiente de Cianorte), vendo a asquerosa tosqueira do prefeito de minha cidade residência, das figuras políticas da instituição em que eu trabalho, ou o autocratismo Requiônico que, ainda por cima, fica sendo "lambido" por boa parte da esquerda externa ao Estado.

O que não quer dizer que o prefeito de Cianorte seja pior que, por exemplo, o de Pinhamonhangaba (SP) ou de qualquer cidadezinha provinciana; é só que o primeiro eu já vi e com ele conversei pessoalmente.

Se eu fosse fosse discutir a cultura política do Maranhão... outras seriam as questões, mais acirradas. Mas não entendo do assunto; e me pareceu que até o lamaçal político Maranhense tem, no público de votantes ao menos, um cabedal menos conservador que o do Paraná. Esse conservadorismo generalizado é o que me dá nos nervos!!

Admito que essa indignação muitas vezes leva a uma atitude blasée e/ou resmungona que deve ser muito irritante para qualquer paranaense, mesmo aqueles muito conscientes das mazelas aqui existentes.

Peço que me avisem quando isso ocorrer: reclamar dos outros pode realmente se tornar um vício escroto.

Vício, aliás, extremamente recorrente no mundo opinonista dos blogs. Especialmente os blogs libero-direitosos nos quais a inteligência é medida pela capacidade de demonstrar desdém e angariar aplausos; coisa que me enoja de maneira que mal posso expressar.

Gabriovaldo Erasmo disse...

(blasée em itálico é muito mais blasê.)

Gabriovaldo Erasmo disse...

Balanço tardio:

É impressão minha ou, depois dessa, a baboseira do "dossiê" morreu completamente e a imprensa/"oposição" -- agindo como se não tivesse perdido tempo e espaço enormes com esse factóide sem-vergonha na esperança de arrancar pedaços da ministra -- passou a falar só do "caso Varig" -- na tentativa de fazer o mesmo?

(Me perdoenm ser estiver desatualizado e o escâââândalo da vez já for outro; é que acabei de voltar de lua de mel e esse comentário seria para umas duas semanas atrás.)