sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Como é, como era

12 de setembro de 2007

Senadores, após votação secreta em sessão fechada "absolvem" Renan Calheiros. "Absolvem" entre aspas porque não houve 41 votos contra a cassação, mas 40, de forma que o presidente do Senado não foi inocentado pelos colegas, o que aconteceu foi a falta da declaração de culpado.

Dá na mesma, Renan continua presidente do Senado Federal.

Um dia antes da votação, eu discutia com um amigo sobre a votação. Não querendo dizer que eu já sabia (embora eu tivesse dito que nã), mas não acreditava em outro resultado, ainda tivesse um fio de esperança de estar redondamente enganado, muito enganado mesmo. O sintoma do resultado era a votação secreta em sessão fechada, e mais do que isso, o fato de que Renan Calheiros não renunciara até o dia da votação. Porque essa atitude? Será que Renan é cabra macho, como todo alagoano que se preze (com minhas desculpas aos alagoanos, aos machos e aos não-machos) ou tinha certeza do resultado? Fico com a segunda.

Voto secreto no Congresso é das maiores, senão a maior, afronta à democracia institucionalizada nesse país. Porque os votantes são representantes da vontade popular, estão lá representando idéias nas quais nós todos votamos...como pode, a gente não saber no que esses caras votam?

Tamanha a safadeza, que numa enquete feita na saída do plenário, 42 senadores declararam ter votado pela cassação, quando o placar eletrônico acusou apenas 35 votos contra Renan Calheiros.

Suplicy continua em alta comigo. O cara não furou feio até agora, declarou seu voto pela cassação há muito tempo. Não sei mais o que pensar do Mercadante, que não votou contra Renan (aaarrgh!!), mas assumiu a sua abstenção. Só não digo que jamais votarei nesse cara porque a política no Brasil proporciona muitos embates entre ruins x piores.

___________________________________________________________________________
Para a brava oposição do Brasil, um lembrete:

13 de Março de 2003:

Arthur Virgílio, PSDB-AM, líder do PSDB no senado: "O voto secreto é um instrumento que deixa o parlamentar, seja senador, deputado federal ou estadual ou vereador, a sós com a sua consciência, em uma hora que é sublime, em que vota livre de quaisquer pressões".

12 de Setembro de 2007:

Arthur Virgílio, PSDB-AM, líder do PSDB no senado: "Me sinto em uma reunião da máfia".


A votação de 2003, aliás, era justamente sobre o fim do voto secreto, em sessão que curiosamente foi aberta...outros arautos da moral, naquela ocasião votaram contra o fim do voto secreto, entre eles:

Tasso Jereissati, presidente do PSDB (Ceará);
Gerson Camata (PMDB-ES);
José Agripino Maia, líder dos "democratas" no senado (Rio Grande do Norte).
___________________________________________________________________________

Hum.

Ano passado, no meio do escândalo do mensalão, a câmara aprovou em primeiro turno um outro projeto para acabar com o voto secreto...geralmente, o segundo turno dessas votações acontece na mesma sessão, ou no máximo em 45 ou 60 dias. Só que eles esqueceram, faltou aprovar em segundo turno.

Bando de gente sem-vergonha. Bando de filhos-da-puta. Bando de covardes pode até ser...mas esse pessoal aí não se incomoda em ficar mal na fita quando faltam 3 anos para as próximas eleições. É tanto tempo, mas tanto tempo, que dá tempo pra comer o cú do Galvão Bueno e ainda ser eleito, mesmo com os protestos do Galvão (supondo que ele se oponha a tal coisa).

Sei lá, mas não dá pra compreender até qual profundidade essa coisa do Renan vai...ele ameaçou todo mundo, disse que tinha segredos dos outros senadores. Se tinha, deveria mostrar, mas ele nega que tenha dito tal coisa. Agora, se não tinha nada, estranho o cara não ter sido cassado. Estranho mesmo...não tem outro cretino do PMDB pra entrar no lugar? Só pode ser o Renan?

Pensem, a princípio não seria um prejuízo enorme a queda do presidente do Senado, nós já estamos acostumados. A princípio, a queda do Renan não atinge o Lula ou o governo. A princípio não atinge muito nem o próprio PMDB. Será que a ala do Sarney, que apóia Renan é tão importante assim?

Estou achando que é. Não sabemos porque, mas é sim. E se o cara tem dossiês e provas, tem contra todo mundo mesmo. Porque é governista agora. E era governista sob FHC. E tem corrupção agora. E tinha antes.

Deve, portanto, ter poder de fogo contra todos os lados mesmo. Fico pensando que se não fosse óbvio que Renan não iria cair, talvez peemedebistas, tucanos e "democratas" não teriam feito esse "jogo pesado" contra ele. Porque esses caras tem muito rabo preso. E que esse "jogo pesado", é simplesmente parte do jogo.

São todos amigos, amanhã estão jantando e governando juntos.

É assim que as coisas são.



Bookmark and Share

Um comentário:

G; disse...

Pô, agora que eu voltei a ler... esse seu texto é muito bom, Marcelo. Pena que quase nunca algum leitor externo aparece e comenta!!...